background image
Relatório Trimestral 1T09
jan/fev/mar 2009
Relações com Investidores:
Antonio Sergio Alfano, Diretor Financeiro e de RI
Luiz Marciano Candalaft, Gerente de RI
Vinicius Campos, Analista de RI
Daniel Rosolen, Analista de RI
Tel: +55 11 3046-8404/8415/8416
invest@klabin.com.br
EBITDA do 1T09 foi de R$ 180
milhões, com margem de 25%
Destaques do 1T09
· Receita líquida de R$ 722 milhões;
· Lucro bruto de R$ 201 milhões, com margem bruta de 28%;
· Lucro Líquido de R$ 29 milhões;
· Volume de vendas de cartões revestidos atingiu 124 mil toneladas;
· Receita líquida de exportação somou US$ 98 milhões, representando
31% da receita líquida total;
· Em 14 de abril a Klabin iniciou a comemoração de seus 110 anos com a
presença do Presidente da República Luís Inácio Lula da Silva.
As informações trimestrais estão sendo apresentadas em conformidade com os critérios
estabelecidos pela Lei nº 11.638/07, pronunciamentos contábeis (CPCs) deliberados pela
Comissão de Valores Mobiliários ­ CVM e pela medida provisória nº 449/08.
R$ milhões lei 11.638/07
1T09
4T08
1T08
1T09/4T08
1T09/1T08
Receita Líquida
722
806
740
-10%
-3%
% Exportações
31%
35%
28%
EBITDA
180
242
191
-26%
-6%
Margem EBITDA
25%
30%
26%
Lucro / (Prejuízo) Líquido
29
-314
69
-58%
Endividamento Líquido
3.756
3.748
2.287
0%
64%
Endividamento Líquido/EBITDA (últ. 12 meses)
5,2
5,1
3,3
Investimentos
83
150
190
-44%
-56%
Volume de vendas - mil t
356
393
386
-9%
-8%
% Exportação
42%
43%
42%
Visite nosso site: www.klabin.com.br
background image
2
Resultados 1T09 ­ 05 de maio de 2009
Klabin 110 anos
Líder nacional dos segmentos de papéis e cartões para embalagens, embalagens de papelão
ondulado e sacos industriais, a Klabin faz aniversário reunindo marcos importantes no
desenvolvimento industrial do país, decisivos para impulsionar sua trajetória de empresa
brasileira centenária.
Nas décadas de 20 e 30, a Klabin Irmãos & Cia. teve grande impulso de crescimento e
transformou-se num dos mais importantes grupos do país, expandindo-se rapidamente e
diversificando suas atividades.
Em 1946, foi inaugurada no Paraná a Unidade Monte Alegre. A Klabin escrevia o primeiro
capítulo da produção de papel em grande escala no Brasil e iniciava um importante capítulo
no desenvolvimento da indústria nacional, já que uma parcela da demanda do mercado
interno de papel imprensa passa a ser suprida por uma empresa brasileira.
Com a fábrica do Paraná, um projeto inovador de manejo florestal começou a ser concebido
e, nos anos 60, ganhou seu formato definitivo, que se tornou a marca de sustentabilidade
da Klabin no mundo antes mesmo de o termo ser difundido. Trata-se do mosaico florestal,
forma pela qual a Klabin mescla suas áreas de florestas plantadas no Estado do Paraná com
extensas áreas de matas nativas intactas, que preservam os corredores de biodiversidade e
favorecem a proteção da fauna e flora locais.
A Klabin também avançou no capítulo da governança ­ com a criação da nova lei de
Sociedades Anônimas, em 1979, foi estabelecido o Conselho de Administração, que
encaminhou o processo de profissionalização da empresa. E, no mesmo ano, a empresa dá
início à negociação de suas ações na Bolsa de Valores de São Paulo, completando em 2009,
30 anos de empresa de capital aberto.
Em 1998, tornou-se a primeira empresa do setor de papel e celulose do Hemisfério Sul a ter
suas florestas certificadas pelo FSC (Forest Stewardship Council), selo verde mais
reconhecido do mundo. Possui o certificado também para a Cadeia de Custódia de Cartões,
Papéis para Embalagens, Sacos Industriais, Embalagens de Papelão Ondulado e Papéis
Reciclados.
Hoje a Klabin é focada em 4 Unidades de Negócio (Florestal, Papéis, Papelão Ondulado e
Sacos Industriais) e é a maior produtora e exportadora de papéis do Brasil, respondendo
por 71% dos embarques de cartões e kraftliner em 2008. Possui 17 unidades industriais no
Brasil e uma na Argentina.
A Klabin está completando 110 anos. A data foi marcada com a visita do Presidente da
República Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 14 de abril, à principal unidade produtiva da
empresa, localizada em Telêmaco Borba (PR). O Presidente conheceu a nova máquina de
papel da Klabin, MP9, a mais moderna máquina de papelcartão do mundo, inaugurada em
setembro último, e participou da cerimônia pelos 110 anos da empresa.
background image
3
Resultados 1T09 ­ 05 de maio de 2009
Mercados e câmbio
Durante o primeiro trimestre de 2009 a demanda por papéis permaneceu em níveis mais
baixos que o ano anterior. Dados publicados pela Associação Brasileira de Papelão Ondulado
(ABPO) e pela Bracelpa indicaram desempenho negativo para os mercados brasileiros de
papelão ondulado e papelcartão. As exportações de kraftliner também foram impactadas
pela redução do consumo europeu.
No lado da oferta, diversos produtores mundiais anteciparam paradas para manutenção e
implementaram férias coletivas em diversas unidades fabris com o intuito de equilibrar os
níveis de globais de estoques. De acordo com dados da RISI a perda estimada de produção
na América do Norte no primeiro trimestre do ano equivale a 1,9 milhão de toneladas de
papéis para embalagens.
A taxa de câmbio (final venda), que iniciou o ano cotada a R$ 2,34 / US$, fechou o
trimestre em R$ 2,32 / US$, representando variação negativa de 1% em relação a 31 de
dezembro de 2008. A taxa de câmbio média no trimestre foi de R$ 2,31 / US$, variação
positiva de 2% em relação ao trimestre anterior (na mesma base final).
Desempenho Operacional e Econômico-Financeiro
Volume de Vendas
O volume de vendas no 1T09, sem incluir madeira, foi de 356 mil toneladas, 8% e 9%
inferior ao 1T08 e ao 4T08, respectivamente, principalmente impactado pela redução de
vendas de kraftliner.
O volume exportado no 1T09 totalizou 148 mil toneladas, 8% e 12% inferior ao 1T08 e ao
4T08, respectivamente. O volume de vendas no mercado interno foi de 208 mil toneladas,
também inferior em 8% e 7% em relação ao 1T08 e 4T08, respectivamente.
O volume de vendas de cartões continuou aumentando sua participação no mix de vendas
da Companhia e representou 35% das vendas totais de papéis, ante 30% no 1T08.
Volume de Vendas por Mercado Volume de Vendas por Produto ­ 1T09
Mil toneladas
Caixas
de P.O.
28%
Cartões
Revestidos
35%
Kraftliner
26%
Outros
2%
Sacos
Industriais
9%
não inclui madeira
356
393
386
1T09
4T08
1T08
Mercado Interno
Mercado Externo
58%
42%
57%
43%
42%
58%
background image
4
Resultados 1T09 ­ 05 de maio de 2009
Receita Líquida
A receita líquida no 1T09, incluindo madeira, totalizou R$ 722 milhões, 3% e 10% inferior
ao 1T08 e ao 4T08, respectivamente. A taxa de câmbio média do 1T09, que foi superior ao
trimestre passado, favoreceu a receita de exportação, porém o volume de vendas mais
baixo e a queda do preço do kraftliner trouxeram impacto negativo à receita líquida.
A receita líquida com exportações no 1T09 totalizou R$ 227 milhões, 10% superior ao 1T08
e 19% inferior ao 4T08. A receita líquida no mercado interno foi de R$ 495 milhões, 7% e
6% inferior ao 1T08 e 4T08, respectivamente.
A receita líquida de cartões representou 35% da receita total, versus 28% no 1T08.
Receita Líquida por Mercado Receita Líquida por Produto ­ 1T09
R$ milhões
Destino das Exportações
Volume ­ 1T09
Receita Líquida ­ 1T09





148 mil R$ 227
toneladas
milhões
M adeira
5%
Sacos
Industriais
15%
Outros
2%
Kraftliner
14%
Cartões
Revestidos
35%
Caixas
de P.O.
29%
inclui madeira
722
806
740
1T09
4T08
1T08
Mercado Interno
Mercado Externo
69%
31%
65%
35%
72%
28%
África
5%
América
Latina
33%
América
do Norte
5%
Ásia
14%
Euro pa
43%
Europa
32%
Ásia
18%
América
do No rte
6%
América
Latina
40%
Africa
4%
background image
5
Resultados 1T09 ­ 05 de maio de 2009
Resultado Operacional
O custo dos produtos vendidos no 1T09 foi de R$ 521 milhões, 1% e 7% inferior ao
1T08 e ao 4T08, respectivamente. A queda no CPV foi positivamente influenciada pela
redução dos custos dos insumos de produção, com destaque para óleo combustível, energia
elétrica e aparas. E negativamente impactada por despesas não recorrentes:
·
Suspensão temporária das atividades na fábrica de papel reciclado de Ponte Nova
(MG), com indenizações trabalhistas no valor de R$ 2 milhões.
·
Parada para manutenção na fábrica de Otacílio Costa (SC) ocorrida em março.
·
Aumento do raio médio de colheita em Santa Catarina.
As despesas com vendas no 1T09 atingiram R$ 89 milhões, 20% superior ao 1T08 e 2%
inferior ao 4T08, refletindo o lançamento de provisão para devedores duvidosos no valor de
R$ 11 milhões. No primeiro trimestre de 2009, os fretes corresponderam a R$ 48 milhões,
representando 54% do total das despesas com vendas.
As despesas gerais e administrativas foram de R$ 41 milhões no 1T09, 1% e 14%
inferior ao 1T08 e ao 4T08 respectivamente.
Outras receitas (despesas) operacionais apresentaram resultado negativo de R$ 1
milhão no 1T09, versus despesas de R$ 1 milhão no 1T08 e receitas não recorrentes de
R$ 24 milhões no 4T08. No 4T08, ajustes referentes à Lei 11.638/07 favoreceram as Outras
Receitas Operacionais.
O resultado operacional antes do resultado financeiro (EBIT) no 1T09 foi de R$ 71
milhões, 29% e 47% inferior ao 1T08 e ao 4T08, respectivamente.
Geração Operacional de Caixa (EBITDA)
Composição do EBITDA - R$ milhões
1T09
4T08
1T08
Resultado operacional (após financeiras)
33
-485
89
(+) Resultado financeiro
38
619
10
(+) Depreciação, exaustão e amortização
109
108
92
EBITDA
180
242
191
A geração operacional de caixa (EBITDA) no 1T09 foi de R$ 180 milhões, 6% e 26%
inferior ao 1T08 e ao 4T08, respectivamente. O EBITDA foi afetado por despesas não
recorrentes lançadas em diversas rubricas no valor de R$ 13 milhões. A margem EBITDA foi
de 25%, versus 26% no 1T08 e 30% no 4T08. A margem EBITDA antes das despesas não
recorrentes foi de 27%.
background image
6
Resultados 1T09 ­ 05 de maio de 2009
Resultado financeiro e endividamento
O endividamento bruto em 31 de março de 2009 era de R$ 5.373 milhões, comparado
com R$ 5.451 em 31 de dezembro de 2008, uma redução de R$ 78 milhões. Esta redução é
decorrente principalmente da amortização de R$ 63 milhões de financiamentos. Da dívida
total, R$ 2.925 milhões (54%) são denominados em moeda estrangeira, equivalente a
US$ 1.263 milhões, substancialmente, pré-pagamento de exportações.
O prazo médio de vencimento dos financiamentos é de 46 meses, sendo 39 meses
para os financiamentos em moeda local e 52 meses para os financiamentos em moeda
estrangeira. A dívida de curto prazo no final de março responde por apenas 13% do total.
Em 31 de março de 2009 as aplicações financeiras somavam R$ 1,6 bilhão, valor que
supera as amortizações de financiamentos a vencer nos próximos 29 meses.
O endividamento líquido em 31 de março de 2009 era de R$ 3,8 bilhões.
Local
Estrangeira
R$
%
Local
Estrangeira
R$
%
Curto Prazo
595
120
715
13%
396
83
479
9%
Longo Prazo
1.853
2.805
4.658
87%
2.092
2.880
4.972
91%
Endividamento Bruto
2.448
2.925
5.373
2.488
2.963
5.451
Caixa e Apl. Fin. e Títulos e Val. Mob.
(1.617)
(1.703)
Endividamento Líquido
3.756
3.748
Financiamento
(R$ milhões)
31/3/2009
31/12/2008
Moeda
Total
Moeda
Total
Resultado Líquido
O lucro líquido apurado no 1T09 R$ 29 milhões, 58% inferior a igual período de 2008,
versus prejuízo de R$ 314 milhões no 4T08.
Evolução do EBITDA e Margem EBITDA
Após a Lei 11.638/07
191
141
155
242
180
26%
18%
20%
30%
25%
1T08
2T08
3T08
4T08
1T09
EBITDA - R$ M ilhõ es
M argem EBITDA
background image
7
Resultados 1T09 ­ 05 de maio de 2009
Evolução dos Negócios
UNIDADE DE NEGÓCIO - FLORESTAL
A Klabin movimentou 1,9 milhão de toneladas de toras de pinus e eucalipto, cavacos e
resíduos para a produção de energia no 1T09, volume 10% inferior ao 1T08 e em relação ao
4T08. Deste total, 1,5 milhão de toneladas foram transferidos para as fábricas do Paraná,
Santa Catarina e São Paulo.
O volume de vendas de toras para serrarias e laminadoras foi de 416 mil toneladas no
1T09, 34% e 3% inferior ao 1T08 e ao 4T08, respectivamente.
A contínua retração no mercado de construção residencial nos Estados Unidos exerce
influência negativa sobre as vendas de madeira para terceiros. Os clientes da Klabin, em
contrapartida, têm direcionado suas vendas para a Europa e principalmente para o mercado
interno.
Em janeiro, a taxa anual com ajuste sazonal do início de construção de novas
unidades residenciais privadas nos EUA foi de 477 mil, 15% inferior a dezembro de 2008.
A receita líquida das vendas de toras de madeira para terceiros no 1T09 foi de R$ 37
milhões, 34% e 2% inferior ao 1T08 e ao 4T08, respectivamente.
Em fevereiro houve forte recuperação, a taxa atingiu 583 mil unidades residenciais, valor
22% superior a janeiro. Entretanto, em março, o índice voltou a cair para 510 mil, situando-
se em 48% inferior ao ano anterior.
No final de março as áreas plantadas, próprias e de terceiros, somavam 222 mil hectares,
sendo 153 mil hectares plantados com pinus e araucária e 69
mil hectares plantados com
eucalipto, além de 188 mil hectares de áreas de preservação permanente e reserva legal.
UNIDADE DE NEGÓCIO - PAPÉIS
O volume de vendas de papéis e cartões revestidos para terceiros foi de 216 mil toneladas
no 1T09, 9% e 13% inferior ao 1T08 e ao 4T08, respectivamente.
A receita líquida de papéis e cartões totalizou R$ 352 milhões no 1T09, 2% superior ao
1T08 e 16% inferior ao 4T08.
As exportações no 1T09 somaram 139 mil toneladas, 7% e 14% inferior que o 1T08 e o
4T08, respectivamente. No 1T09, as exportações representaram 64% do volume total
vendido pela unidade.
Kraftliner
O volume de vendas de kraftliner foi de 92 mil toneladas no 1T09, 25% e 23% inferior ao
1T08 e ao 4T08, respectivamente. As vendas para o mercado externo atingiram 82 mil
toneladas no 1T09, equivalente a 89% das vendas totais deste produto. O maior volume de
transferência para as fábricas de caixas de papelão, reduziu o volume de vendas para o
mercado doméstico. Deste modo, as vendas para este mercado atingiram 10 mil toneladas
no 1T09, um decréscimo de 51% e 37% em relação ao 1T08 e ao 4T08, respectivamente.
background image
8
Resultados 1T09 ­ 05 de maio de 2009
A receita líquida de kraftliner atingiu R$ 103 milhões no 1T09, 23% e 38% inferior ao 1T08
e ao 4T08, respectivamente.
Os preços de kraftliner caíram significativamente durante o trimestre. De acordo com dados
da FOEX o kraftliner brown de 175g/m² apresentou queda de 16% em 2009.
Cartões
O volume de vendas de cartões no 1T09 atingiu 124 mil toneladas, 8% superior ao 1T08 e
2% inferior ao 4T08. A receita líquida atingiu R$ 249 milhões no 1T09, 19% superior ao
1T08 e 1% inferior ao 4T08.
As exportações de cartões somaram 57 mil toneladas no 1T09, 20% superior ao 1T08 e 1%
inferior ao 4T08.
De acordo com os dados divulgados pela Associação Brasileira de Celulose e Papel ­
Bracelpa ­ as vendas de papel cartão (excluindo cartões para líquidos) no mercado
doméstico atingiram 100 mil toneladas, 19% e 15% inferior ao 1T08 ao 4T08,
respectivamente. O market share da Klabin nas vendas para o mercado interno atingiu 19%
no 1T09, comparado com 18% em 2008. Considerando-se a totalidade da expedição
brasileira de cartões, vendidos no mercado interno e externo, as vendas da Klabin
correspondem a 30%, contra 21% no mesmo período do ano passado.
UNIDADE DE NEGÓCIO - PAPELÃO ONDULADO
Segundo informações preliminares da Associação Brasileira do Papelão Ondulado ­ ABPO ­
indicam que a expedição de caixas e chapas de papelão ondulado no 1T09 foi de 503 mil
toneladas 7% inferior que o 1T08.
Preço Kraftliner x Taxa de Câmbio
539
602
720
732
1308
1318
1398
1329
2,43
2,18
1,83
1,95
0
200
400
600
800
1000
1200
1400
1600
1800
1T05 2T05 3T05 4T05 1T06 2T06 3T06 4T06 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 3T08 4T08 1T09
1,50
1,70
1,90
2,10
2,30
2,50
2,70
2,90
Preço Médio Foex (US$)
Preço Médio Foex (R$)
R$/US$
* M édia 1T09
Fonte: FOEX - Kraftliner bro wn 175 g/m
2
- P IX P A CKA GING EUROP E Benchmark Indexes
R $ / US $
P re ç o
2 ,3 1*
5 9 9 *
13 8 4 *
background image
9
Resultados 1T09 ­ 05 de maio de 2009
O volume de vendas da Klabin atingiu 101 mil toneladas no 1T09, 5% e 4% inferior ao 1T08
e ao 4T08. No 1T09 a participação de mercado da Klabin manteve-se em 20%.
A receita líquida do 1T09 totalizou R$ 212 milhões, 5% e 8% inferior ao 1T08 e ao 4T08,
respectivamente.
A redução nos volumes de vendas nestes primeiros meses de 2009 deveu-se a uma soma
de fatores. A retração econômica em diversos setores importantes para o papelão ondulado,
entre eles, o de frigorificados e de avicultura e o atraso no processamento da safra de fumo
afetaram as vendas no segmento, principalmente em janeiro e fevereiro.
UNIDADE DE NEGÓCIO - SACOS INDUSTRIAIS
O volume de vendas de sacos industriais nas unidades do Brasil e Argentina no 1T09
totalizou 30 mil toneladas, 9% inferior ao 1T08 e 3% superior ao 4T08.
A receita líquida no 1T09 foi de R$ 105 milhões, 2% e 3% superior ao 1T08 e ao 4T08. No
1T09, o preço dos sacos industriais aumentou 12% em comparação ao 1T08.
Com um patamar de câmbio mais favorável, os sacos industriais voltaram a ter maior
competitividade, o que possibilitou esforços para o retorno a mercados externos, resultando
neste trimestre, em maiores exportações. O crescimento no volume de exportações de
sacos industriais foi de 36% em relação ao 4T08.
No mercado interno, apesar das quedas registradas em janeiro e fevereiro, as vendas de
cimento voltaram a crescer em março, elevando o número consolidado do trimestre para
um nível maior que o do primeiro trimestre de 2008. Segundo dados preliminares do
Sindicato Nacional da Indústria de Cimento, principal consumidora de sacos industriais no
Brasil, o consumo no 1T09 cresceu aproximadamente 2% em relação ao mesmo período do
ano passado. O gráfico a seguir ilustra a evolução desse mercado nos últimos anos.
Expedição brasileira de papelão ondulado -
mil toneladas
518
464
492
497
526
546
542
503
1T02
1T03
1T04
1T05
1T06
1T07
1T08
1T09
Fonte: ABPO
background image
10
Resultados 1T09 ­ 05 de maio de 2009
Esse aumento das vendas ainda não reflete os impactos da redução de Imposto sobre
Produto Industrializado (IPI) concedido pelo governo a partir de abril ao setor de materiais
de construção.
Mercado de Capitais
Ações Preferenciais
600,9 milhões
Preço por ação (KLBN4)
R$ 2,85
Valor Patrimonial da Ação
R$ 2,48
Volume Médio Diário 1T09
R$ 3,5 milhões
Valor de Mercado
R$ 2,6 bilhões
Em 31 de março de 2009
Consumo Nacional de Cimento
m ilhõ e s de t o ne la da s
2,0
3,0
4,0
5,0
jan
fev
mar
abr
mai
jun
jul
ago
set
out
nov
dez
2006
2007
2008
2009
Fonte: Sindicato Nacional da Indústria do Cimento
background image
11
Resultados 1T09 ­ 05 de maio de 2009
O gráfico a seguir apresenta a evolução das ações preferenciais da Klabin e do Ibovespa:
No 1T09, as ações preferenciais da Klabin (KLBN4) apresentaram desvalorização nominal de
13,9% e o IBOVESPA apresentou valorização de 9,0%. As ações da companhia foram
negociadas em todos os pregões da BOVESPA registrando 86.388 operações que
envolveram 68,7 milhões de títulos e um volume médio diário negociado de R$ 3,5 milhões.
As ações da Klabin também são negociadas no mercado norte-americano. Como ADRs
Nível I, os títulos são listados no OTC ("over-the-counter"), mercado de balcão, sob o código
KLBAY.
O capital social da Klabin é representado por 917,7 milhões de ações, das quais 316,8
milhões de ações ordinárias e 600,9 milhões de ações preferenciais. Em 31 de março, a
Companhia mantinha 16,9 milhões de ações preferenciais em tesouraria.
Investimentos
Os investimentos realizados no trimestre estão especificados a seguir:








Florestal
42
66
Papéis
27
115
Embalagens
12
8
Sacos Industriais
1
0
Outros
3
0
Total
83
190
R$ milhões
1T09
1T08
KLBN4 x IBOVESPA
Base 100 = 31/12/08
60
70
80
90
100
110
120
dez/08
jan/09
fev/09
mar/09
KLBN4
IBOVESPA
9,0%
-13,9%
background image
12
Resultados 1T09 ­ 05 de maio de 2009
Em 2009 os investimentos previstos são da ordem de R$ 300 milhões, abaixo da
depreciação anual e estão relacionados com a continuidade operacional e finalização dos
investimentos em andamento em todas as Unidades de Negócio.
No primeiro trimestre os investimentos atingiram R$ 83 milhões, dos quais 50% foram
alocados na Unidade de Negócios Florestal, sendo que grande parte na complementação dos
novos sistemas mecanizados de colheita.
A Unidade de Negócios Papelão Ondulado dará continuidade aos investimentos iniciados em
2008 como a aquisição de novas impressoras e a atualização tecnológica de impressoras e
onduladeiras.
Estratégia
Diante do cenário atual da economia brasileira e mundial a administração da Companhia
deverá manter uma postura austera, com uma rígida disciplina financeira.
O caixa e aplicações financeiras serão preservados. Para tal, os investimentos previstos para
2009 serão inferiores à depreciação anual. Nos próximos 2 a 3 anos, a empresa concentrará
seus esforços na redução do seu endividamento líquido e no aumento da geração de caixa.
Foram adotadas medidas que permitirão reduzir os custos fixos e variáveis:
a)
Redução do plantio florestal com recursos próprios;
b)
Redução das compras de madeira de terceiros;
c)
Suspensão temporária da planta de papel reciclado de Ponte Nova (MG) e férias
coletivas nas outras unidades de papel reciclado;
d)
Aumento do consumo de papel kraftliner nas fábricas de caixas de papelão ondulado;
e)
Antecipação das paradas programadas para manutenção;
f)
Renegociação dos contratos de matérias-primas, manutenção e serviços;
g)
Redução das despesas gerais e administrativas.
Para o longo prazo, a Klabin continua confiante na sua vocação de crescimento, com o seu
Business Plan indicando que poderá ter um novo ciclo de crescimento a partir de 2015,
deste modo, os estudos para os projetos de expansão continuam sendo avaliados,
destacando:
a)
Investimentos visando aumento da área plantada com recursos de terceiros;
b)
Implantação de uma fábrica de celulose com capacidade de 1,3 milhão de toneladas,
com início de operação previsto a partir de 2015;
c)
Instalar uma nova máquina de papel cartão na Unidade de Monte Alegre, com
capacidade de 400 mil toneladas/ano;
background image
13
Resultados 1T09 ­ 05 de maio de 2009
Teleconferência
Quarta-feira, 6 de maio de 2009 ­ 10h00 (Brasília).
Senha: Klabin
Telefone: (11) 4688-6301
Replay: (11) 4688­6312 ­ Senha: 904
Conference Call
Wednesday, May 6
th
, 2009 ­ 10:00 a.m. (N.Y.) / 11:00 a.m. (Brasília)
Password: Klabin
Phone: U.S. participants: 1-888-700-0802
International participants: 1-786-924-6977
Brazilian participants: (55 11) 4688-6301
Replay: (55 11) 4688­6312 ­ Password: 706
Webcast
O áudio da Teleconferência também será transmitido pela internet.
Acesso:
www.ccall.com.br/klabin

Com uma receita bruta de R$ 3,4 bilhões, em 2008, a
Klabin
é a maior produtora integrada
de papel para embalagem do Brasil, com capacidade de produção de 2,0 milhões de
toneladas anuais de produtos. A Companhia definiu como enfoque estratégico a atuação nos
seguintes negócios: papéis e cartões revestidos para embalagens, caixas de papelão
ondulado, sacos industriais e madeira. Lidera todos os mercados em que atua.
Declarações contidas neste comunicado relativas à perspectiva dos negócios da Companhia, projeções de
resultados operacionais e financeiros e relativas ao potencial de crescimento da Companhia constituem-se em
meras previsões e foram baseadas nas expectativas da Administração em relação ao futuro da Companhia. Essas
expectativas são altamente dependentes de mudanças no mercado, no desempenho econômico geral do Brasil, na
indústria e nos mercados internacionais, estando, portanto, sujeitas à mudança.
background image
14
Resultados 1T09 ­ 05 de maio de 2009
Anexo 1
Demonstração do Resultado Consolidado
Legislação Societária ­ Lei 11.638/07(R$ mil)
1T09
4T08
1T08
Receita Bruta
863.482
959.446
886.406
Receita Líquida
721.774
805.729
740.354
100,0%
100,0%
100,0%
Custo dos Produtos Vendidos
(520.555)
(557.908)
(524.943)
72,1%
69,2%
70,9%
Lucro Bruto
201.219
247.821
215.411
27,9%
30,8%
29,1%
Vendas
(89.050)
(91.302)
(73.985)
12,3%
11,3%
10,0%
Gerais & Administrativas
(40.587)
(46.986)
(40.809)
5,6%
5,8%
5,5%
Outras Rec. (Desp.) Oper.
(1.011)
24.396
(1.225)
0,1%
3,0%
0,2%
Total Despesas Operacionais
(130.648)
(113.892)
(116.019)
18,1%
14,1%
15,7%
Resultado Oper. antes Desp. Fin.
70.571
133.929
99.392
9,8%
16,6%
13,4%
Resultado de Equivalência Patrimonial
(57)
0,0%
0,0%
0,0%
Despesas Financeiras
(98.523)
(149.232)
(88.445)
13,7%
18,5%
11,9%
Receitas Financeiras
46.969
7.065
58.486
6,5%
0,9%
7,9%
Variações Cambiais Líquidas
13.318
(476.661)
19.746
1,8%
59,2%
2,7%
Financeiras Líquidas
(38.236)
(618.828)
(10.213)
5,3%
76,8%
1,4%
Lucro antes I.R. Cont. Social
32.335
(484.899)
89.122
4,5%
60,2%
12,0%
Prov. IR e Contrib. Social
(2.896)
171.759
(16.797)
0,4%
21,3%
2,3%
Partic. dos Minoritários
(495)
(1.029)
(3.402)
0,1%
0,1%
0,5%
Lucro Líquido
28.944
(314.169)
68.923
4,0%
39,0%
9,3%
Depreciação/Amortização/Exaustão
109.387
107.981
91.066
15,2%
13,4%
12,3%
EBITDA
179.958
241.910
190.458
24,9%
30,0%
25,7%
1T09
1T08
4T08
% da Receita Líquida
background image
15
Resultados 1T09 ­ 05 de maio de 2009
Anexo 2
Balanço Patrimonial Consolidado
Legislação Societária - Lei 11.638/07 (R$ mil)
Ativo
31/3/2009
31/12/2008
Passivo e Patrimônio Líquido
31/3/2009
31/12/2008
Ativo Circulante
3.042.020
3.180.419
Passivo Circulante
1.032.379
843.368
Caixa e bancos
21.596
104.586
Empréstimos e Financiamentos
714.830
479.262
Aplicações financeiras
1.175.912
1.190.591
Fornecedores
171.777
215.546
Títulos e valores mobiliários
419.402
407.521
Imposto de renda e contribuição social
1.796
764
Clientes
673.176
633.080
Impostos a recolher
40.905
42.152
Estoques
447.491
437.092
Salários e encargos sociais
48.270
59.661
Impostos e contribuições a recuperar
253.424
326.969
Dividendos a pagar
-
Outros
51.019
80.580
Outros
54.801
45.983
Não Circulante
4.805.959
5.123.843
Empréstimos e Financiamentos
4.657.867
4.971.637
Outros
148.092
152.206
Não Circulante
5.098.401
5.061.781
Participações dos Minoritários
29.156
27.974
Realizável a Longo Prazo
Imp. renda e contrib. social diferidos
392.295
314.062
Patrimônio Líquido
2.272.927
2.247.015
Impostos a compensar
184.610
206.514
Capital Social Realizado
1.500.000
1.500.000
Depósitos judiciais
82.208
79.793
Reservas de Capital
84.491
84.491
Outros
109.588
106.028
Reservas de Reavaliação
80.493
81.016
Investimentos
8.700
8.700
Reservas de Lucros
690.916
661.627
Imobilizado
4.266.606
4.299.443
Ajustes de avaliação Patrimonial
(3.163)
(309)
Intangível
54.394
47.241
Ações em Tesouraria
(79.810)
(79.810)
Ativo Total
8.140.421
8.242.200
Passivo Total
8.140.421
8.242.200
background image
16
Resultados 1T09 ­ 05 de maio de 2009
Anexo 3
Cronograma de Resgate dos Financiamentos ­ 31/03/09
R$ milhões
2T09
3T09
4T09
1T10
Restante
de 2010
2011
2012
2013
2014
2015
2016
2017
em diante
Total
Bndes
22,0
75,3
77,5
77,5
232,5
310,0
294,7
269,1
262,3
296,9
42,7
0,8
1.961,4
Outros
57,7
0,2
115,2
169,7
-
16,7
16,7
17,9
20,9
30,8
24,6
15,9
486,3
Moeda Nacional
79,7
75,4
192,7
247,2
232,5
326,7
311,4
287,0
283,2
327,8
67,3
16,7
2.447,7
Pré Pagamento
17,6
17,7
10,3
41,9
165,4
329,0
544,1
593,1
306,7
97,7
-
-
2.123,6
Financ. de Ativo Fixo
0,6
0,5
0,5
0,5
1,6
2,2
2,2
1,8
-
-
-
-
9,9
Outros
7,1
12,7
-
10,1
30,4
63,6
60,7
89,7
86,8
86,8
168,6
174,7
791,5
Moeda Estrang.
25,3
31,0
10,8
52,6
197,4
394,7
607,0
684,7
393,5
184,6
168,6
174,7
2.924,9
End. Bruto
105,0
106,4
203,5
299,8
429,9
721,4
918,4
971,7
676,7
512,4
235,9
191,4
5.372,6
Custo Médio
Prazo Médio
Moeda Local
10,3 % a.a.
39 meses
Moeda Estrangeira
4,7 % a.a.
52 meses
Dívida Bruta
46 meses
R$ milhões
80
75
193
247
233
327
311
287
283
328
67
17
25
31
11
53
197
395
607
685
394
185
169
175
105
106
204
300
430
721
918
972
677
512
236
191
2T09
3T09
4T09
1T10
Restante
de 2010
2011
2012
2013
2014
2015
2016
2017
em diante
Moeda Nacional
Moeda Estrang.
Curto Prazo = 13%
715
Moeda Estrang.
2.925
Moeda Nacional
2.448
End. Bruto
5.373
background image
Resultados 1
Anexo 4
Demonstração do Fluxo de Caixa Consolidado
Legislação Societária - Lei 11.638/07 (R$ mil)
Resultados 1T09 ­ 05 de maio de 2009
17
2009
2008
Atividades Operacionais
Ajustado
Lucro líquido do período
28.944
68.923
Despesas (receitas) que não afetam o caixa e equivalentes:
. Depreciação e exaustão
109.387
86.648
. Resultado na alienação de ativos
(257)
275
. Imposto de renda e contribuição social diferidos
611
(811)
. Juros e variação cambial sobre financiamentos
63.829
53.300
. Pagamento de juros
(85.207)
(71.408)
. Resultado na participação de minoritários
495
3.402
. Outras
1.574
364
Caixa Gerado nas Operações
119.376
140.693
Variações nos Ativos e Passivos
. Clientes
(40.096)
(31.054)
. Estoques
(10.645)
(31.506)
. Impostos a recuperar
14.405
(42.936)
. Despesas antecipadas
12.394
9.362
. Demais contas a receber
11.961
(6.465)
. Fornecedores
(80.188)
(108.004)
. Impostos a recolher
(1.247)
(6.238)
. Imposto de renda e contribuição social
1.284
(10.460)
. Salários, férias e encargos sociais
(11.391)
(13.958)
. Demais contas a pagar
3.583
(7.897)
Variação nos Ativos e Passivos
(99.940)
(249.156)
Caixa Líquido Atividades Operacionais
19.436
(108.463)
Atividades de Investimento:
. Aquisição de bens do ativo imobilizado, líquido dos impostos recuperáveis
(49.832)
(192.005)
. Venda de ativos
967
288
. Outros
(11.881)
(499)
Caixa Líquido Atividades de Investimento
(60.746)
(192.216)
Atividades de Financiamento:
. Captação de financiamentos
4.597
479.675
. Amortização de financiamentos
(61.421)
(120.972)
. Integralização de capital minoritários
730
2.292
. Resgate de capital minoritários
(265)
Caixa Líquido Atividades de Financiamento
(56.359)
360.995
Aumento(Redução) de Caixa e Equivalentes
(97.669)
60.316
Saldo Inicial de Caixa e Equivalentes
1.295.177
2.098.641
Saldo Final de Caixa e Equivalentes
1.197.508
2.158.957
(97.669)
60.316
1º Trimestre