A divulgação de informações de maneira consistente, transparente e acurada faz parte da cultura da Klabin. Desta forma, comprometida com a transparência junto ao mercado e com o tratamento igualitário aos acionistas, integra desde 09 de janeiro de 2014 o Nível 2 de Governança Corporativa da Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa), segmento que lista ações de empresas que adotam práticas diferenciadas de governança.

O Estatuto Social garante aos titulares de ações preferenciais o direito a tag along, com recebimento de preço igual a 100% do valor pago por ação ordinária integrante do bloco de controle.

A Companhia mantém políticas de divulgação de fatos relevantes e de negociação de ações, aplicáveis a todos os acionistas e profissionais com acesso a informações que possam ser consideradas privilegiadas. Essas políticas estabelecem os processos de comunicação com o mercado e as restrições para as negociações com papéis da Klabin.

Bimestralmente, os conselheiros reúnem-se para avaliações de resultados e discussões de metas e estratégias. O desempenho da Companhia é tornado público por meio da divulgação de informações trimestrais, demonstrações financeiras anuais e relatórios anuais de sustentabilidade.

Os acionistas têm na Assembléia Geral o principal canal de recomendação para os conselheiros. Outro canal de comunicação direta dos acionistas é a área de Relações com Investidores, que pode ser contatada por telefone, correspondência ou e-mail.

Todos os públicos – o que inclui clientes, colaboradores, fornecedores e representantes da sociedade – podem usar esse canal, para fazerem recomendações à administração.

A Klabin mantém como principais órgãos de governança a Assembleia Geral de Acionistas, o Conselho de Administração, o Conselho Fiscal e a Diretoria. Estes órgãos atuam em sinergia para o alcance de resultados econômicos, financeiros, sociais e ambientais da companhia.

A empresa apresenta as demonstrações financeiras consolidadas de acordo com as normas internacionais de relatório financeiro (IRFS - International Financial Reporting Standards), emitidas pelo International Accounting Standards Board (IASB).

Em agosto de 2011 a Companhia aderiu ao "Codigo ABRASCA de Autorregulação e Boas Práticas das Companhias Abertas" que estabelece princípios, regras e recomendações com o objetivo de contribuir para o aprimoramento das práticas de governança corporativa, visando a promover a confiança dos investidores, facilitar o acesso ao mercado de capitais e reduzir o custo do capital, fomentando a sustentabilidade e a perenidade das companhias abertas brasileiras, assim como a criação de valor no longo.

As principais práticas corporativas da Companhia estão consolidadas neste documento.

 

Última atualização em 2016-06-09T07:52:29